Poesia

(cons)ciência de que?

Entre os atos, fatos ditos nas minhas telas, algo subsiste por um contínuo que transpassa… os próprios atos, os próprios fatos. Mas de outra camada, de outra tessitura. Ditam palavras: escritas faladas. Falácias. Fazem piadas: frias, insensatas. Nem uns, nem outras, boca calada. Todo dia na rima enxada-madrugada. Subsiste. Persiste. Leia mais…

Por Marcelo Vaz Pupo, atrás